E um dia a Estrelinha brilhou! E as nossas caras encheram-se de Felicidade. E as nossas vidas mudaram! E tu és a nossa razão de viver. Bem vindo Miguel! Estamos ansiosos Margarida!

Miguel

Margarida

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2006

Foi assim....

Já passaram 11 meses, mas como é possível esquecer?

Contra todas as espectativas, na semana de 14 a 20 de Março, foste concebido.

O dia 13 de Março e o anterior, foram dias de emoções.
Na véspera, tinha falecido o meu avô A., pai da minha mãe. Precisamente na altura da consulta estava a decorrer o seu funeral.... Por volta das 13h... nascia o Tomás, filho do NR e B.
O Dr. JN (da consulta de Santa Maria) lamentou o facto de eu estar a ovular do ovário direito o que impossibilitava a Inseminação Intra Uterina devido à possível obstrução da Trompa direita.
Mesmo assim, pediu à senhora enfermeira que me desse a última injecção (Pregnyl) de forma a terminar o ciclo do tratamento para a indução dos ovários. Curiosidade: De todas as injecções que eu já tinha dado a mim própria nunca tinha ficado com uma nódoa negra.... será que foi a srª enfermeira que deu um empurrãozinho?

"É pena, pois tem dois folículos lindíssimos", foi o último comentário do Doutor....

Mas.... qual ratinho a roer calmamente o seu queijinho, as nossas consciências ficaram a trabalhar.... durante essa semana a fé e a esperança estiveram em alta. Nas nossas cabeças repetiam-se vezes sem conta as palavras do último comentário do Doutor.

No dia 31 de Março, primeiro dia de atraso.... O coração já batia descompassadamente quando fui à farmácia comprar o primeiro de 5 testes de gravidez! Qualquer coisa me dizia que sim.... ".... dois folículos lindíssimos....", mas ao mesmo tempo lembrava-me da trompa obstruida e do perigo que era uma nova gravidez ectopica....

Já em casa, com o pai... a segunda risquinha cor de rosa estava lá, muito muito ténue. Será? Será! Basta aparecer, por muito ténue que seja!

Os nossos corações entraram em colapso, uma tempestade estourou nas nossas cabeças, não conseguiamos controlar as nossas emoções!

Com uma alegria do tamanho do mundo mas muito apreesivos, optámos por repetir o teste nessa noite, na manhã seguinte e ainda por mais duas vezes! Loucura!

No dia seguinte fazia anos o Avô V e conseguimos manter a calma sem falar com ninguém. Ligámos para o Hospital e falei com a Drª AP, que marcou logo a análise ao sangue(BHCG) e uma ecografia para segunda feira para descartar a possibilidade de uma nova gravidez ectopica. Comentário da Drª: "AH Paula, o que vocês foram fazer!"

E fizemos! E muito bem feito! Na eco confirmou-se a gravidez in útero pois visualisava-se o saco gestacional e, na semana seguinte, o pai babado foi o primeiro a ver no ecrã a ESTRELINHA A CINTILAR! Era o coração do meu Guerreiro que tinha conseguido, contra todas as espectativas, percorrer a trompa direita e instalar-se no quentinho da barriga da mamã!

Chamei-te Guerreiro e não foi por acaso pois em meados de Abril, superaste mais uma difícil prova de resistência!
Fui parar ao Hospital de Santa Maria com fortes dores do lado direito da barriguinha.... Era um quisto no ovário de origem hormonal com cerca de 7 cm de diâmetro que estava a fazer das dele.... provavelmente teria torcido e enquanto o organismo e o bébé não assimilassem todas as hormonas que o compunham, só restava à mãe aguentar as dores (com supositorios de benuron) e aguardar em repouso.....
Nesta altura optámos por divulgar a novidade, ainda ninguém sabia.... Nem é preciso dizer a loucura que foi, pois não?

Após um mês em repouso, regressei ao trabalho, já com uma barriguinha bem vísivel, sem quisto nem dores e toda vaidosa!

Os enjoos foram faceis de ultrapassar com a ajuda dos comprimidos. Enjoei o cheiro das batatas e do amaciador da roupa com aloe vera.... só! Não tive um único desejo!

O resto da gravidez, correu sobre rodas, com uma felicidade imensa estampada nos rostos de ambos.

Às 34 semanas, mais uma prova de resistência para o meu Guerreiro! Uma hemorragia levou-me mais uma vez ao Hospital de Santa Maria. Uma vez observada os médicos acham melhor ficar internada uma vez que estava com contracções, sem dor, mas regulares. Fiquei 4 diazitos no SPA (como lhe chamou o meu obstetra), medicada, como prevenção. Não se passou nada e vim para casa até à vespera do dia que fazia as 40 semanas de gravidez!

Dia 7 de Dezembro de 2005 acordei com contracções, depois de ter passado o dia 6 particularmente incomodada.... E assim passei o dia, com contracções regulares de 20 em 20, 15 em 15 minutos.... O pai não foi trabalhar, vieram os avós I e L, montámos a arvore de Natal e às 19h liguei ao obstetra e disse-lhe que estava assim desde as 5h da manhã. Quiz ver-me em Santa Maria e confirmou o inicio do trabalho de parto. Mandou-me ir andando para a Cruz Vermelha que havia de ir lá ter comigo.

E assim foi.... às 9.00h da manhã do dia 8 de Dezembro apareceu ao pé de mim, depois de uma noite inteira com contracções fortes e com as dores localizadas a nível dos rins, mas que não passaram dos 10 minutos de intervalo e sem dilatação nenhuma. Valeu-me o pai que passou a noite toda a fazer massagens nos rins, sem dormir, coitado!

E partimos para a cesariana, levei epidural (o dr conseguiu à terceira tentativa) e às 9.56h vi-te sair da minha barriguinha, com os olhinhos muito abertos a olhar para a mãe e com muito cabelinho. O pai assistiu a tudo e foi o primeiro que esteve contigo enquanto o pediatra te pesava, media e fazias os testes necessários.
"Está tudo bem com o seu filho mãe!" Disse o pediatra.
"É lindo" disse o pai, levantando o dedo polegar.
Não foi preciso dizer mais nada! As lágrimas escorriam-me pela cara enquanto o Obstetra e a Assistente me coziam. Tenho a vaga ideia que estavam a falar comigo, mas não ouvi nada! Só conseguia pensar em ti e que finalmente te tinhamos connosco, ao fim de 8 anos!

Cá fora, a família em peso: Avós, tia P e tio M, conheceram-te através do vidro do berçário.

Levaram-me para o quarto onde ficámos até sábado. O pai ficou connosco!

A primeira noite dormiste no berçário, uma vez nem eu nem o pai tinhamos dormido e durante o dia foi um turbilhão de visitas: tios, prima, tios avós, primo, amigos... enfim..... tantos......

A segunda noite já passaste connosco, com muitas colicas e muita fome, pois eu não tinha muito leite, o que te valeu foi o biberon.... e as enfermeiras que te fizeram massagens na barriguinha....

As colicas mantiveram-se durante cerca de 2 meses, valeu-nos o Infacol, medicamento milagroso que mandamos vir de Inglaterra através da Internet.

E hoje cá estás, já quase com 3 mesinhos, um anjinho.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2006

Não Resisti

Não resisti.... cá estou eu a iniciar-me neste mundo fantastico da Blog Mania!

A ideia é acima de tudo, ficar com um registo desta nossa etapa maravilhosa que é ter uma linda Estrelinha Azul a alegrar as nossas vidas.

Sim, Miguel, é para ti que a mãe e o pai vêm aqui contar o que se passa nas nossas vidas desde que tu estás connosco! As alegrias, as tristezas (esperemos que nenhumas), as tuas brincadeiras, descobertas, birras, enfim.... Tudo o que nos vai na alma e na mente.

Também gostava que fosse um local de partilha de amizades e de troca de experiencias, um local que nos ajude a sermos melhores pessoas, pais, amigos!

Até já!
Paula